terça-feira, 19 de julho de 2011





A beleza de quem vê não é a mesma de quem sabe
O amor de quem vê não é o mesmo de quem sente
A paz de viver não é a mesma de quem vive

O toque sobre o corpo não é o mesmo de quem arrepia
A caricia de quem sente cocegas não é a mesma de quem provoca
O olhar de quem fotografa não é o mesmo de quem aprecia.

O texto de quem escreve não tem o mesmo nexo para quem lê.


Gabryelle C. Gadêlha 
18 de Julho de 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário